28/09/2021 às 13h21min - Atualizada em 28/09/2021 às 15h10min

Castração química para cães é opção com melhor custo-benefício

Ainda não muito conhecida, castração química pode ser solução para quem procura método de castração mais rápido, barato e com melhor recuperação

SALA DA NOTÍCIA Alice Bachiega
divulgação

Além do alto índice de animais que são abandonados ou nascem e crescem nas ruas, há um outro problema que, em algumas cidades, pode até ser considerado como saúde pública, mas acaba ficando em segundo plano: a superpopulação desses bichinhos, que aumenta a cada ano, devido à falta de castração. 

De acordo com os dados do Instituto Pet Brasil (IPB), existem mais de 54 milhões de cachorros em todo o país. Desse total, cerca de 2,69 milhões estão em condição de vulnerabilidade, ou seja, vivem sob a tutela de famílias ou pessoas em situação de rua ou classificadas abaixo da linha de pobreza. 

Esse número apresenta uma realidade bastante alarmante, visto que a reprodução dos cães acontece em um curto período e tem a capacidade de gerar muitos filhotes de uma só vez. Por isso, é necessário enfatizar a importância da adoção responsável, que assume compromissos que ajudam a reduzir essa superpopulação, como a castração. 

Atualmente, a medicina veterinária conta com diversas técnicas para realizar esse procedimento nos cães, sendo a esterilização cirúrgica a mais conhecida. Contudo, seja para quem busca por uma opção mais em conta ou prefere uma recuperação mais rápida, a castração química surge como uma alternativa em ascensão. 

No Brasil, a prática é indicada apenas para cães machos, por conta do medicamento licenciado, mas o procedimento causa o mesmo efeito da castração por cirurgia. Portanto, se você pensa em adotar e está escolhendo nomes de cachorros masculinos, esse procedimento pode ser o ideal para seu futuro pet. 

Assim como o método de esterilização cirúrgica, a castração química também provoca a perda da capacidade reprodutiva de maneira irreversível. A diferença entre os dois procedimentos está no preço e no tempo para execução e recuperação do cachorro – atributos estes que são mais favoráveis para a técnica química.

Dentre os métodos de castração química, é possível encontrar três categorias principais. A primeira é a aplicação de hormônios sintetizados; a segunda é a vacina imunocontraceptiva; e a terceira são os químicos esterilizantes inorgânicos. Esse último pode ser realizado a partir da injeção de gluconato de zinco neutralizado com arginina, cloreto de cálcio ou cloreto de sódio hipertônico.

Apesar de ser mais rápida, igualmente eficiente e por um preço menor, a castração química é delicada e deve ser sempre realizada por um profissional qualificado. Por isso, entre em contato com um médico veterinário de confiança para saber qual procedimento é mais indicado para o seu amigo de quatro patas.


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://itaqueraemnoticias.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp