28/07/2022 às 02h14min - Atualizada em 28/07/2022 às 20h50min

Endometriose atinge uma em cada dez mulheres no Brasil

Dr. Alessandro Schuffner explica os sintomas, tratamentos e o melhor caminho para quem sofre com a doença e quer engravidar

SALA DA NOTÍCIA Via Assessoria
Freepik
Uma doença silenciosa e dolorosa que atinge uma em cada dez mulheres no Brasil, segundo o Ministério da Saúde. A endometriose é uma realidade para milhares de brasileiras. Para o ginecologista, Alessandro Schuffner, o diagnóstico precoce pode ser a melhor arma e você vai entender o motivo.
“Muitas vezes a mulher não percebe. Por isso em termos de sintomas a paciente tem que ficar atenta a dor. Dor na relação sexual, dor durante a menstruação. Com o passar da idade vai aumentando a prevalência da endometriose, ou seja, a chance da mulher ter. Mas pode acometer mulheres já aos 20 anos, mas a faixa etária mais atingida é entre 30 e 35 anos”, explica o médico.
A endometriose está associada a dor e infertilidade. É uma modificação no funcionamento normal do organismo em que as células do tecido que reveste o útero (endométrio), em vez de serem expulsas durante a menstruação, se movimentam no sentido oposto e caem nos ovários ou na cavidade abdominal, onde voltam a multiplicar-se e a sangrar.
A forma de diagnosticar é através de um exame clinico. Segundo Dr. Alessandro Schuffner, o médico consegue detectar “o nódulo da endometriose e pela conversa com o paciente os sintomas provocados pela doença. Além disso, o diagnóstico também é feito com o mapeamento da endometriose com ultrassom transvaginal só que com preparo intestinal e também com a ressonância magnética”.
O ginecologista destaca que o tratamento depende daquilo que a paciente quer. “Por exemplo, se ela quer engravidar e não tem um comprometimento da trompa a gente vai direto para o estimulo da ovulação na relação sexual, mas quando a paciente tem dor podemos realizar uma videolaroscopia para retirar essa endometriose”.
O diagnóstico precoce se torna importante porque essa é uma doença não curativa. “Mesmo com o melhor procedimento realizado ou uso de medicamentos como hormônios via oral o que vai ser controlado é a dor, do que a própria infertilidade.  Portanto, o tratamento é para os sintomas da endometriose. Não tem um comprimido que a mulher vai tomar para a doença e vai melhorar a fertilidade. A melhor coisa para quem quer engravidar é começar algum tratamento especifico para isso”, detalha
Por fim, o especialista ressalta que independentemente se a mulher quer ou não engravidar é preciso fazer os exames e o acompanhamento médico regular. “Relatar para o ginecologista que está sentido dor na relação sexual e na menstruação. Algum desconforto é normal, mas dor não. Então faça sempre os exames. Porque essa situação vai prejudicando a mulher, diminuindo a atividade laboral, no trabalho por causa da dor, na hora da relação sexual. Quanto antes se pensar na doença e fazer o diagnóstico, quanto antes se aborda a doença”, finaliza o ginecologista, Alessandro Schuffner.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://itaqueraemnoticias.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp