26/07/2022 às 11h44min - Atualizada em 26/07/2022 às 12h00min

Dia Nacional do Arqueólogo: conheça os projetos da UniSul nessa área

Universidade é uma das principais de Santa Catarina a desenvolver pesquisas acadêmicas voltadas para educação patrimonial e preservação arqueológica

SALA DA NOTÍCIA emilly moreira
https://estude.unisul.br/
Escola Educação
No dia 26 de julho, comemora-se o Dia do Arqueólogo, importante profissão que estuda e investiga a cultura e as civilizações humanas em seu passado, por meio da análise de objetos e materiais. Com o intuito de valorizar a educação patrimonial, a UniSul, integrante do Ecossistema Ânima, realiza dois projetos de extensão dentro da área, conhecidos como ‘Patrimônio Arqueológico - Conhecer para Preservar’ e ‘Um Olhar sobre o Patrimônio’. No último semestre, mais de 180 acadêmicos da instituição participaram ativamente de ambas as iniciativas que estão envolvidas diretamente com o Grupo de Pesquisa em Educação Patrimonial e Arqueologia (Grupep).
O projeto ‘Patrimônio Arqueológico - Conhecer para Preservar’ consiste em difundir a pesquisa arqueológica de campo e laboratório desenvolvida no Brasil e, fundamentalmente, no Estado de Santa Catarina, por meio da discussão sobre a diversidade cultural presente no território e sobre grupos humanos que compuseram a história de longa duração. “Nele, os participantes têm a oportunidade de desenvolver ações para valorização e preservação dos patrimônios arqueológicos, além disso, podem participar de ações de educação patrimonial para instituições escolares que nos procura no decorrer do ano”, pontua o coordenador do Laboratório de Arqueologia da UniSul, e líder do Grupep, Geovan Martins Guimarães.
Já o projeto ‘Um Olhar sobre o Patrimônio’ tem como foco a preservação do patrimônio cultural brasileiro, por meio do desenvolvimento de inventários, que são identificados como patrimônio culturais, materiais e imateriais em todo território nacional. “Essa iniciativa foi criada em 2018 para ser desenvolvida pelos alunos dos cursos de graduação da UniSul Digital. A ideia é que os estudantes de várias partes do País apliquem inventários em suas comunidades, além de instigar nossos alunos a reconhecerem os patrimônios culturais presentes nos locais onde moram e que ainda não são devidamente reconhecidos”, acrescenta Guimarães.
De acordo com o coordenador do Laboratório de Arqueologia da UniSul, os projetos são de grande contribuição para a comunidade visto que promove a valorização dos patrimônios regionais, portadores da memória dos diversos grupos formadores da identidade destes locais. “Essas iniciativas são fundamentais para sensibilizar e conscientizar os acadêmicos sobre a preservação e valorização dos patrimônios culturais, tornando-os multiplicadores destas ações”, destaca Geovan Martins Guimarães.
Sobre o Grupep
O Grupo de Pesquisa em Educação Patrimonial e Arqueologia da Unisul (Grupep) iniciou suas atividades no ano 2000 como Núcleo de Pesquisa em Educação Patrimonial (Nupep). Ele foi criado a partir da iniciativa de estudantes e professores que buscavam estudar e dar visibilidade ao patrimônio arqueológico do sul de Santa Catarina. 
Um dos projetos de destaque foi o estudo de Sambaquis que são sítios arqueológicos formados pelo acúmulo de vestígios de fauna e que apresentam datações que de oito mil até mil anos atrás. A maioria deles é de cemitérios, que se mantiveram preservados ao longo de milhares de anos. O estudo permite que os arqueólogos desvendem o passado dos povos indígenas que habitavam o território brasileiro antes da colonização portuguesa. Em 2014 o Grupep anunciou o estudo de um esqueleto encontrado na cidade de Laguna de mais de três mil anos.
O Grupep da UniSul contribuiu não somente com a pesquisa, mas com ações educativas nas escolas da região da Amurel, colaborando com a conscientização da preservação e valorização desses bens culturais.
Para mais informações sobre o Grupep, acesse: http://grupepunisul.blogspot.com/p/grupep-arqueologia.html

Sobre a UniSul
Com 57 anos de história, a UniSul, integrante do Ecossistema Ânima Educação desde 2021, conta com campi localizados em: Araranguá, Balneário Camboriú, Braço do Norte, Criciúma, Florianópolis-Centro, Florianópolis – Continente, Florianópolis –Ilha, Içara, Itajaí, Pedra Branca e Tubarão. A instituição tem seus cursos consagrados entre os melhores do Sul do Brasil, e uma das marcas empresariais mais lembradas da região, obteve conceito máximo (5) na avaliação do Ministério da Educação (MEC). A universidade é a mais premiada pela ADVB catarinense – Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil. Tem em seu portfólio 70 cursos de graduação, 60 de nível especialização, além de cinco cursos de Mestrado, nas seguintes áreas: Administração, Educação, Ciências Ambientais, Ciências da Saúde e Ciências da Linguagem, e quatro programas de Doutorado organizados pelas áreas de Administração, Educação, Ciências da Saúde e Ciências da Linguagem. A instituição possui a tradição de universidade empreendedora e participativa no próprio desenvolvimento de Santa Catarina – foi a primeira universidade de ensino superior a participar do planejamento pioneiro do estado em 1973.

Informações para imprensa:
Mylena Zintl |Emilly Moreira | Sheila Oliveira
unisul@maquinacohnwolfe.com
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://itaqueraemnoticias.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp