18/07/2022 às 11h12min - Atualizada em 18/07/2022 às 15h45min

Como os varejistas podem coletar e usar consensualmente os dados dos clientes com segurança

Trata-se do Zero-Party Data, ou seja, as informações que os clientes compartilham intencionalmente e de forma proativa com as marcas, desde artigos preferidos à intenção de adquirir algum item de seu agrado

SALA DA NOTÍCIA Sendinblue
https://pt.sendinblue.com/
Divulgação
Pesquisa realizada pelo Google com a Euromonitor ( Tendencias-de-consumo/jornada-do-consumidor/pesquisa-futuro-omnicanalidade-brasil/ ) prevê que, até 2025, o e-commerce cresça 42% no país, com o varejo sendo responsável por 39% desse crescimento de vendas.

Para aproveitar a oportunidade de mercado, as marcas de comércio eletrônico precisarão alcançar e envolver com sucesso os clientes por meio de campanhas de marketing estratégicas. Mas, com as novas regulamentações de privacidade em ascensão, as marcas de comércio eletrônico precisarão ser criativas com a forma como coletam e usam os dados do consumidor de maneira compatível com os dados.

Enquanto os cookies estão sendo eliminados, podemos esperar um impacto drástico em como as empresas de comércio eletrônico poderão atingir clientes novos e existentes quando se trata de marketing. É por isso que os dados de terceiros, ou seja, dados que os clientes compartilham intencional e proativamente com uma marca, tornaram-se uma prioridade agora mais do que nunca. Desde que as marcas sejam transparentes sobre como estão usando os dados dos clientes, os consumidores estão abertos para compartilhar suas preferências e dados para receber uma experiência mais personalizada.


Entendemos que dados de terceiros são importantes, mas como os coletamos?

Coletar Zero-Party Data não é tão difícil quanto parece.
“De acordo com um estudo recente da Cisco, as empresas que estão conquistando e mantendo a confiança dos clientes em meio a esse cenário cada vez mais voltado para a privacidade observam um retorno médio de 270% de seus investimentos nesse sentido. Isso significa, segundo o Cisco Data Privacy Benchmark Study, que para cada dólar gasto com privacidade, a empresa ganha US$ 2,70” – Fonte: https://brandpublishing.com.br/zero-party-data/ .




 Com a grande exposição do marketing digital, os consumidores procuram marcas para personalizar sua experiência online para que seja direta e relevante para suas necessidades. Vamos nos aprofundar em algumas maneiras de começar a coletar dados de terceiros:


Centros de preferência

Deixe seus clientes dizerem exatamente o que estão procurando. Ao ter uma central de preferências em seus perfis, os consumidores podem editar seus dados a qualquer momento e gerenciar seus interesses de acordo com suas necessidades. Isso permitirá uma melhor experiência online com as marcas compartilhando conteúdo relevante e personalizado para cada cliente, o que novamente leva a um maior engajamento e conversão.


Questionário com inscrição por e-mail

Antes que um novo assinante clique no botão enviar para se inscrever em seu newsletter, dê um passo extra e inclua um questionário rápido sobre o que eles esperam ver da sua marca. Por exemplo, se você é uma marca de moda, inclua um teste rápido de estilo para obter mais informações sobre o que eles estão procurando. Você não quer enviar um newsletter sobre as novidades das mulheres para um comprador do sexo masculino.


Pesquisas de mídia social

A mídia social é uma ótima maneira de explorar seus clientes em um instante com pesquisas interativas. Por exemplo, com as histórias do Instagram, as marcas podem criar diferentes prompts envolventes, como enquetes e caixas de feedback, para coletar dados e insights de seu público.


Utilize Zero-Party Data para personalizar o conteúdo, gerar engajamento e aumentar as vendas

Agora que você tem todos esses dados de qualidade coletados diretamente de seus clientes, compartilhe efetivamente conteúdo relevante e personalizado. Aqui estão alguns próximos passos sobre como você pode começar a implementar campanhas de marketing com seus Zero-Party Data:

 
  • Crie listas segmentadas com base em perfis/preferências de clientes para direcionar o conteúdo certo para o público certo.
  • Inclua um código promocional em campanhas de e-mail ou SMS com sugestões personalizadas de produtos que podem ajudar a fechar uma venda facilmente.
  • Ofereça recomendações e dicas pessoais com base nas preferências do cliente.
  • Peça aos usuários que atualizem suas preferências regularmente para garantir que as marcas possam fornecer o conteúdo e a experiência certos para eles.


Zero-Party Data está mudando a forma como as empresas estão interagindo com seus clientes online. As marcas têm a capacidade de construir relacionamentos mais fortes com seus clientes coletando dados de qualidade para criar uma experiência personalizada. Isso resultará na configuração de sua marca com taxas de conversão mais altas, retenção de clientes e mais engajamento.

Sobre a Sendinblue
 
Sendinblue é a única plataforma de marketing digital que capacita empresas B2B e B2C, vendedores de e-commerce e agências para construir relacionamentos com clientes por meio de campanhas de marketing digital de ponta a ponta, mensagens transacionais e automação de marketing. Ao contrário de outras soluções de marketing construídas para orçamentos e conhecimentos em nível corporativo, a Sendinblue adapta sua plataforma     integral      para atender às necessidades de marketing de PMEs crescentes em mercados difíceis.  A Sendinblue foi fundada em 2012 por Armand Thiberge com a missão de tornar os canais de marketing mais eficazes e acessíveis a todas as empresas. A Sendinblue suporta mais de 300.000 usuários ativos em 160 países.
 
 
 
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://itaqueraemnoticias.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp