Prefeitura revitaliza viveiro Arthur Etzel, no Parque do Carmo

content image

Ação será realizada em parceria com a marca de sabonetes Francis

A Prefeitura de São Paulo vai revitalizar os viveiros Arthur Etzel, no Parque do Carmo, na Zona Leste, e o Manequinho Lopes, no Parque Ibirapuera, Zona Sul, em parceria com a marca de sabonetes Francis. A empresa também cuidará da manutenção do viveiro Manequinho Lopes por três anos, sem custos para o município. O projeto SP Cidade das Flores, dentro do programa SP Cidade Linda, quer transformar esses espaços em novos pontos turísticos e de educação ambiental da cidade.
O Termo de Cooperação entre a empresa e a Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente prevê a reforma e a manutenção das estufas e dos estufins (canteiros) do Manequinho Lopes, em um investimento total R$ 1,25 milhão. Para o Arthur Etzel, está previsto um investimento de R$ 100 mil. Entre as melhorias previstas estão a reforma do galpão, dos estufins e da estrutura, que está deteriorada, além de revisão elétrica, hidráulica, pintura e limpeza. 
A contrapartida prevista no acordo com a Francis será a exposição da marca da empresa nas dependências dos dois viveiros. 
Francis levará para diversos pontos da cidade bicicletas e trucks repletos de flores, que serão entregues ao público para celebrar a assinatura da parceria e o início da primavera. O prefeito ressalta a importância para a capital de parcerias com as empresas e se coloca à disposição de outros representantes da iniciativa privada que desejarem contribuir com a cidade.
Arthur Etzel
O Arthur Etzel, viveiro do Parque do Carmo, foi criado em 1987 e recebeu o nome de outro chefe da Divisão de Parques, Jardins e Cemitérios, Arthur Etzel (1889-1971). Acompanhado por seu pai, Antônio Etzel, juntos arborizaram a capital paulista com jacarandás, fícus e paus-ferro.
A família Etzel, inclusive, chegou a morar no Parque da Luz, eram eles: o pai Antônio Etzel, a mãe Eudoxia Megerus e os cincos filhos, quatro homens e uma mulher. Em 1906, com apenas 17 anos, o primogênito Arthur Etzel começou a ajudar o pai em seus feitos pelo verde da cidade. Os dois foram os primeiros a transplantar, oficialmente, árvores em São Paulo.